Circuito dos Fortes

Apresentação

O “Circuito dos Fortes” foi concebido a partir da constatação da existência de um grande patrimônio histórico e arquitetônico composto ao longo de cinco séculos para a defesa das Vilas de São Vicente e Santos, bem como do Porto de Santos; o maior e ainda hoje o mais importante do hemisfério sul; que no seu todo compõe um conjunto único no Brasil e talvez no mundo, devido a expressividade cronológica que o todo proporciona ao turista.

O “Circuito dos Fortes” pode ser visualizado através de diversos enfoques: Arquitetônico – pelos estilos e formas; Tecnológico – pelas técnicas e materiais de construção; Político – a partir do sistema de organização territorial e defesa; Religioso – a partir da presença de eminentes religiosos como Pe. Anchieta e Pe. Manoel da Nóbrega e oragos de cada fortificação, os milagres de Anchieta; Econômico – que representa o incremento de importância a cada ciclo econômico representado pelo porto; Militar – com a evolução das estratégias, armamentos e tecnologia; Artístico – pela existência de diversas obras de artes nas unidades de caráter escultórica, pictórica, etc., entre elas a última obra do consagrado Manabu Mabe (Vento Vermelho); e Histórico – através dos cenários e episódios dramáticos acontecidos em cada unidade e na região a partir das fortificações, tais como, o aprisionamento de Hans Stadem, o armistício dos Tamoios e o suicídio de Santos Dumont após o ataque de hidroaviões do governo a Fortaleza de Itaipu.

Tal arcabouço proporciona do ponto de vista técnico interpretações que contam boa parte da história da Região, do Estado de São Paulo e do Brasil, das relações internacionais históricas, do sistema defensivo, da tecnologia e do desenvolvimento social, político e militar. O programa Turístico “Circuito dos Fortes” visa proporcionar o aproveitamento turístico das edificações que o compõem a partir dos vários enfoques, permitindo a cada visitante ainda, a sua própria interpretação, pois permite um painel histórico que cobre um período de quinhentos anos de história. Exatamente por isto, a temática do programa foi determinada como “Circuito dos Fortes – Cinco Séculos de história em oitos pontos estratégicos”. As edificações, a arquitetura, a tecnologia e os personagens que por elas passaram, escreveram histórias, a história do Brasil e de todos nós, que merece ser visitada e conhecida.

O “Circuito dos Fortes” pretende estimular o turismo na Região Metropolitana da Baixada Santista e facilitar o acesso ao patrimônio Histórico que o compõem através de visitas monitoradas e organização de um padrão de atendimento organizado a partir dos mais modernos conceitos de recepção e atendimento ao turista, exigindo daqueles que nele trabalham qualidade e padrão de atendimento e satisfação do visitante.

Concepção geral:

O projeto Circuito dos Fortes surgiu de uma solicitação da Fundação Cultural do Exército Brasileiro quanto ao estabelecimento de uma parceria com a Agência Metropolitana da Baixada Santista – AGEM no sentido de que se pudesse nos moldes de um outro projeto turístico religiosos desenvolvido pela AGEM com outros parceiros (Caminhos de Anchieta), propiciar o aproveitamento do patrimônio histórico e riquezas culturais existentes nos denominados fortes ou fortalezas existentes na Região Metropolitana da Baixada Santista – RMBS, que somam 8 pontos distintos e diferenciados.

O objetivo do projeto é propiciar o aproveitamento turístico da existência desse patrimônio cultural e histórico, proporcionando a geração de emprego, renda e melhoria da qualidade de vida em toda a região, com o desenvolvimento da atividade turística. Do ponto de vista histórico, proporciona um painel que cobre um período de cinco séculos, quanto aos aspectos arquitetônicos, construtivos, tecnológicos, estratégicos, histórico, cultural e geográfico, entre outros.

Do ponto de vista cultural, proporcionar o entendimento da evolução tecnológica dos conceitos de defesa e segurança do porto e da costa, a história dos personagens que construíram e utilizaram as fortalezas, tais como: Padre José de Anchieta, Padre Manoel da Nóbrega, Hans Staden, entre outros, que hoje são parte da história da construção da nação brasileira, bem como, a evolução da história do Brasil, do Estado de São Paulo e da cultura e miscigenação do povo brasileiro, principalmente quanto a relação do homem branco e o índio.

A AGEM exerce a função de catalisadora e fomentadora do processo, articulando ações entre os diversos entes participantes do projeto, bem como, efetuando a elaboração do projeto e roteiro de visitação, concepção de estratégias, folheteria, comunicação visual, projetos de comunicação.

A elaboração do projeto resultará na ocorrência de desenvolvimento social e econômico, e conseqüentemente da qualidade de vida, através da geração de oportunidades de negócios, geração de emprego e renda, identificando e aproveitando as oportunidades que o território e o patrimônio da RMBS apresenta. O papel da metropolização é organizar, planejar, buscar oportunidades, fomentar negócios, gerar desenvolvimento através dos instrumentos e recursos disponíveis. O presente projeto é um exemplo claro desta atuação e ação de caráter metropolitano, pois integra vários municípios, gera oportunidades de bons negócios durante todo o ano e não apenas nos períodos de veraneio. 


Circuito dos Fortes