O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (31) a nona atualização do Plano São Paulo de enfrentamento ao coronavírus e reabertura gradual e faseada da economia. O aumento de casos e internações levou 15 cidades do Vale do Ribeira novamente à fase 1 vermelha de restrição total de atendimento presencial em comércios e serviços não essenciais. Nas demais regiões, a classificação se manteve em relação à avaliação da semana passada. A Baixada Santista se mantém na fase amarela (etapa 3 do plano).

“O Plano São Paulo foi feito para avançar sempre que possível, mas retroceder sempre que necessário. Aqui, a prioridade é salvar vidas”, destacou o Governador. “Ao lado desta medida, houve iniciativas para melhorar a condição de saúde e de atendimento na região do Vale do Ribeira”, reforçou Doria.

A região do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Registro estava na etapa 3 amarela do Plano São Paulo, com flexibilização intermediária de atividade econômica e mobilidade social. Mas, ao longo desta semana, autoridades estaduais já apontavam alerta para a possibilidade de regressão.

Na última quinta (30), os Secretários de Estado Jean Gorinchteyn (Saúde) e Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional) estiveram no Vale do Ribeira em compromisso oficial de combate à pandemia. Eles acompanharam o início da testagem na comunidade quilombola Peropava, no município de Registro. Também houve distribuição de cestas básicas, cobertores, máscaras e álcool em gel para as 32 famílias residentes.

Também nesta semana, o Governo de São Paulo reforçou a capacidade hospitalar do Vale do Ribeira para atendimento a pacientes graves com COVID-19. Na última quarta (29), o Estado anunciou dez novos leitos de UTI para a região, além de viabilizar a transferência de pacientes do vale do Ribeira para hospitais da Baixada Santista.

Até a reclassificação do próximo dia 7 de agosto, outras três áreas de DRS permanecem na etapa 3 vermelha: Franca, Piracicaba e Ribeirão Preto. A maior parte do estado continua na fase 2 laranja, que permite abertura restrita de escritórios, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. Atualmente, essa etapa abrange as regiões de Araçatuba, Barretos, Bauru, Campinas, Marília, Presidente Prudente, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba, Taubaté e a sub-região Norte da Grande São Paulo.

Na fase 3 amarela, permanecem as regiões de Araraquara e Baixada Santista, além da capital e sub-regiões Leste, Oeste, Sul e Sudeste da Grande São Paulo. Ela permite reabrir bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade, além de academias com 30% de vagas e expediente limitado.

Fonte- Governo do Estado de São Pauo

Vale do Ribeira retrocede para a fase vermelha do Plano SP; Baixada Santista segue na fase amarela