A quarta etapa do estudo Epicobs (Epidemiologia da Covid-19 na Baixada Santista), realizada entre os dias 17 e 20 de junho, apontou que 1 em cada 15 moradores da Baixada Santista já contraiu o novo coronavírus. Coordenado pela Fundação Parque Tecnológico de Santos, o estudo calcula a disseminação da Covid-19 por amostragem, a partir de resultados positivos de testes rápidos em voluntários escolhidos aleatoriamente.

Nesta etapa, 160 testes apresentaram resultados positivos entre as 2.442 amostras colhidas nas nove cidades da Baixada Santista. Isso representa 6,6% da população com anticorpos contra a Covid-19. No total, o estudo mostrou que 120.904 moradores da região já contam com anticorpos. O Epicobs conclui ainda que, para cada caso positivo, existem outros sete não notificados na região. Apesar da ascensão da doença na região, o estudo mostrou desaceleração dos casos entre os meses de maio e julho.

Etapas

Na fase 1, realizada entre 29 e 30 de abril, a Baixada Santista registrou 1,4% de casos positivos. Na fase 2 (de 13 a 15 de maio), houve um crescimento de 57% neste número, chegando a 2,2% de resultados positivos. Na fase 3 (27 a 30 de maio), o aumento foi ainda maior (77%), registrando 3,9% da população com anticorpos. Por fim, na fase 4, houve uma desaceleração no crescimento, chegando a 6,6% de positivos (aumento de 69%).

O infectologista Marcos Caseiro, que é um dos pesquisadores do Epicobs, explica que os dados das quatro fases do estudo epidemiológico mostram como a Covid-19 se expandiu rapidamente por toda a região, apresentando velocidade de disseminação maior do que em estudos semelhantes pelo mundo.

“Conseguimos ver a progressão da pandemia na Cidade. O vírus se expandiu de maneira muito rápida, certamente devido aos problemas no isolamento. Nunca conseguimos fazer um isolamento profundo aqui na Baixada Santista. Apesar da prevalência permanecer em ascensão, conseguimos desacelerar a contaminação”, relata Caseiro.

Ainda de acordo com o especialista, um dado impressionante do estudo é o da contaminação por idade. As quatro fases apontaram que 111.836 dos infectados tem menos do que 60 anos, o que representa 92,5% do total. Apenas pouco mais de 7% são idosos, considerados grupos de risco da doença.

“A estimativa é de que a Baixada Santista tenha 15,2% de pessoas acima dos 60 anos (cerca de 65 mil pessoas) e, segundo o estudo, 8.584 infectados nessa faixa-etária. Isso quer dizer que, ainda que tenhamos feito um isolamento ruim, parece que a população de mais idade e mais vulnerável se assustou, ficou isolada e se infectou menos”.

Estudo vai continuar em Santos

O Epicobs teria, inicialmente, quatro etapas, porém a cidade de Santos decidiu manter o estudo por tempo indeterminado, pelo fato dele ter se tornado um bom parâmetro para embasar medidas no enfrentamento à covid-19. Em breve, a Fundação Parque Tecnológico de Santos vai anunciar a próxima etapa de coleta de testes rápidos.

Fonte – Prefeitura de Santos

https://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/estudo-mostra-reducao-de-transmissao-da-covid-19-em-santos

https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/mais-saude/noticia/2020/06/27/estudo-aponta-desaceleracao-na-transmissao-do-coronavirus-entre-maio-e-junho-no-litoral-de-sp.ghtml?fbclid=IwAR0LI1-WGd7pZfcgx74_u7g-uDnkTK95i9ShWIxtYRLRRT4MzXOZsS6WLH4

Estudo aponta que 1 em cada 15 moradores da região já se infectou com o novo coronavírus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *